segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Santos Mendonça e o programa Calendário: um marco no Rádio Sergipano

José dos Santos Mendonça nasceu no dia 24 de novembro de 1919, na Barra dos Coqueiros, porém passou a infância em Aracaju. Seus pais eram Albérico Curvelo e Graziela de Santos Mendonça. Estudou no colégio de Dona Bió Cardoso, e passou também, pelos colégios Salesiano, Tobias Barreto e Atheneu.

Santos Mendonça se destacou com o programa Calendário, mas ele já fazia programas radiofônicos desde quando tinha apenas 18 anos. A primeira participação foi uma ponta no programa esportivo PJ6, que era apresentado por Alfredo Gomes. Por conta de um problema de saúde, Alfredo Gomes precisou se afastar das transmissões, e Santos Mendonça assumiu todas as atrações comandadas por ele. Nesse momento Mendonça assumiu o “Atrações Matinais”, que era um programa de auditório, sucesso de público. O programa que era voltado para o entretenimento acontecia sempre aos domingos, e nele Mendonça apresentava os famosos artistas do rádio sergipano. Entre eles estavam: Pedro Teles, Eronildes, Carnera e seu Regional, João Melo e a Rádio Orquestra Pinduca.

Por causa dos baixos salários dos radialistas, Mendonça junto com outros radialistas decidiram levar seus programas para o cinema. Como os programas não tinham nenhum vinculo com as emissoras de rádio, a decisão era vista como um protesto. Assim, Mendonça passou a apresentar o programa “O que somos o quanto valemos”, no Cinema Vitória nos domingos pela manhã. O programa tinha uma boa produção, com muitas brincadeiras de perguntas e respostas, e a platéia vibrava com a distribuição de prêmios. Além das brincadeiras, assim como no “Atrações Matinais”, Santos Mendonça, no programa “O que somos o quanto valemos” também apresentava grandes artistas do rádio sergipano. A animação do programa ficava por conta da Rádio Orquestra Pinduca.

Quando Mendonça foi contratado pela Rádio Liberdade, recém-inaugurada, ele iniciou o que seria o maior programa investigativo do rádio sergipano, o Calendário. O programa era uma mesclava um jornalismo denunciativo com a prestação de serviços, informando santo do dia, horóscopo, avisos aos navegantes entre outras informações.

Santos Mendonça, na atração diária, fazia denuncias políticas e criminais. Para as denuncias de crimes ocorridos em Aracaju, o radialista contava com o apoio da população e dos próprios policias, que faziam questão de mantê-lo informado. Segundo Herbert Mendonça (filho de Santos Mendonça), para conservar o anonimato dos informantes, Santos Mendonça criou o codinome “Zé Povinho”, que servia a todo aquele que queria fazer denúncia.

O maior caso noticiado pelo Calendário foi o assassinato do menino Carlos Werneck, pelo sapateiro Antônio Feliciano de Macedo, o La Conga, e sua esposa Edith. Mendonça primeiro noticiou o desaparecimento da criança, que tinha 11 anos. Desconfiado de rapto, e que ele estaria escondido no porão de um navio, que havia acabado de partir de Sergipe, Mendonça através do rádio entrou em contato com autoridades baianas e conseguiu interceptar a embarcação no porto de Salvador. Mas, o garoto não estava escondido no navio. Mendonça, depois, emocionado, noticiou a descoberta do corpo da criança, enterrado, em um monte de areia, perto da casa onde morava, no bairro Siqueira Campos. E foi ouvindo o Calendário que a polícia chegou aos assassinos, pois eles concederam entrevista ao programa contando como cometeram o crime.

Através do programa, Santos Mendonça realizava campanhas beneméritas, em prol de várias instituições, principalmente em prol do Asilo Rio Branco.

Por Ana Paula Medeiros

4 comentários:

dudufs disse...

Tá aí uma curiosidade..
não sabia que os apresentadores levavam os programas para fora das rádios..
valeu Ju, continue trazendo essas pérolas!

Cláudio-Alexandre dos Santos e Silva disse...

Parabéns pelo blog e pela inteligência. Sou um marido orgulhoso por tudo que você faz. Beijo.

ClinicaSion disse...

Olá Juliana;

Meu nome é Herbert Cardoso Mendonça, sou neto de Santos, sou médico e resido a 20 anos em Belo Horizonte. quase que por acaso encontrei este Blog e queria parabenizá-la, se puder me indicar onde encontro mais informações agradeço.

Att

Herbert
herbert@clinicasion.net

Ricardo Filho disse...

Boa noite, Hebert (Betinho) que comentou acima também sou neto de Santos Mendonca, também sou médico, porém resido em Aracaju mesmo. Hoje por ser dia do avô me bateu uma saudade do meu velho e comecei a procurar coisas sobre ele na internet. Se vc tiver mais informações e estórias sobre Santos Mendonça eu gostaria de ler sobre ele.
Grande abraço, e parabéns pelo Blog
Ricardobrf86@gmail.com